Entrevista Exclusiva com Pr. Alan Basílio

Missão Raabe é um projeto que nasceu no coração do Pr. Alan12509825_1136517659694737_555636782220610739_n Basílio – Mevam- Macaé , uma ação que acolhe  prostitutas, homossexuais e moradores de rua , tem trago um grande impacto para o estado do Rio de Janeiro em nível de justiça social , um grande despertar para a igreja brasileira que precisar sair dos templos e começar a fazer a diferença na geografia que vive.


1- Como começou a história? Como foi o chamado para o ministério? 

Alan: A história começou orando pela cidade, queria fazer alguma coisa pela cidade, então comecei a orar perguntando para Deus, como eu podia servir a minha cidade? eu entendi que eu precisava fazer algo pela cidade de Macaé-RJ e comecei a orar pela cidade.

2- Como surgiu a missão Raabe?

Alan: Surgiu de orar pela cidade, perguntar para Deus como poderia ta servindo a minha cidade: macaé-RJ, um dia Deus falou que nós podia trabalhar com as meninas que se prostituíam em nossa cidade, de orar pela cidade e Deus falou que nós íamos trabalhar para as meninas que se prostituíam.

3- Porque o nome missão Raabe? 

Alan: porque foi um nome dado por Deus, como nós irmos 12391965_901205079986506_1777612991376763586_ntrabalhar com meninas que prostituem-se então Ele falou que o nome seria Raabe, por causa da prostituta Raabe da cidade de Jericó, que se trata de uma missão pelas meninas que se prostituem, então foi um nome dado por Deus, Deus falou que seria missão Raabe. 

Assim deu Josué vida à prostituta Raabe e à família de seu pai, e a tudo quanto tinha; e habitou no meio de Israel até ao dia de hoje; porquanto escondera os mensageiros que Josué tinha enviado a espiar a Jericó.” Josué 6:25 

4- Qual o objetivo da missão Raabe? 

Alan: O Objetivo é resgatas as meninas que se prostituem na nossa cidade e se estendeu com os moradores de situação de rua, com tudo isso, o objetivo é esse de resgatar vida de pessoas que estão se prostituindo, pessoas com situação de rua em nossa cidade.

5- Como foi o primeiro impacto? 

Alan: primeiro evangelismo? foi uma mesa no meio da praça que a gente colocou e chamou as meninas para tomar um café com a gente, e é assim até hoje, uma mesa que a gente coloca lá com pão, suco, biscoito, etc.. e foi assim a gente conversou e fez o primeiro evangelismo e é da mesma forma até hoje.

6- Qual foi a primeira dificuldade no ministério? 

Alan:  Até hoje não tivemos nenhuma dificuldade não, porque é tão simples porque colocamos a mesa na praça e chamamos as meninas para tomar café, em relação aos moradores de ruas, talvez a unica dificuldade é arrumar um lugar para eles ficarem para poder ser tratado o vicio. Com os morados a gente sempre encontra lugares pra eles ficarem, mais é um pouquinho mais difícil, com as meninas não tivemos nenhuma dificuldade.

7- Qual testemunho que mais emocionou?

Alan: Todos emocionaram, não tem um que diz aquele que mais12391316_931639586919465_860262920942064532_n emocionou, talvez esse um, que importante foi que no primeiro Raabe que nós fizemos foi uma menina, que quando terminamos ela veio até a nós e falou que, queria dar o testemunho dela, que tudo que nós tínhamos falado de Deus foi pra ela naquela noite, que ela falou que tinha casa, que tinha família que tinha profissão, que não precisava se prostituir, então naquela noite, ela tava decidindo sair das ruas, sair da vida de prostituição e isso foi no primeiro Raabe que nós fez, e ai tivemos a certeza que nós estamos no caminho certo.

8- Houve algum impedimento durante a trajetória de evangelização?

Alan: Não, como falei na pergunta anterior, nunca houve algum impedimento não e nenhuma dificuldade ou barreira, graças a Deus, por enquanto até hoje nada, nunca.

9- Quais paradigmas (padrões) precisam ser quebrados?

Alan: São muitos, mas o principal é de parar para olhar para as pessoas como rótulos, como morador de rua, como prostitutas, homossexual, mas começar a olhar para eles como seres humanos, esse é o principal paradigma que precisa ser quebrado, hoje a gente trabalha muito com rótulo, hoje a gente trabalha com prostitutas, 12239480_1135890059756711_2982559038866042915_ncom morador de rua, a gente trabalha com homossexual, só não ama ninguém, entendeu? então a gente precisa aprender a amar o ser humano em 1º lugar antes de qualquer coisa, é isso que eles são, são seres humanos, ai é que vem, o viciado, a prostituta, homossexual, morador de rua.    para de achar que a igreja tem que ir para a rua, converter os outros, que o IDE é uma obrigação, não a igreja tem que ir para rua para liberar o amor de Deus, para ser o amor de Deus, para ser um comprimento de uma profecia nas ruas, a igreja tem que ir pra rua pra isso, em tudo mais que acontecer é pra isso, de se converter, de deixar de se prostituir, foi porque nós fomos na rua, ou que Deus quis que fossemos, que nós fomos tocados para ir para as ruas, e essas pessoas ser libertas, mas para de achar que é obrigação da igreja pra fazer convertidos, a gente tem que ir para a rua para ser o amor de Deus, para sermos o amor de Deus, pois é ele quem determina, pois se converteu foi porque Deus quis, se não se converteu foi porque Deus não quis, eu acho que isso é importante, nós quebrar esse dois primeiros, para depois nós quebramos os outros.

10- Onde quer chegar com a missão Raabe? 

Alan: Assim, eu não sei a onde eu quero chegar com o missão Raabe, não estou querendo chegar em lugar nenhum, onde queríamos chegar nós já chegamos, nas ruas, onde eu quero chegar é dar a vida, é dar voz, é apontar, pras pessoas que existe vidas nas ruas, seres humanos de situação deprimente nas ruas, o que a gente quer é tornar visível que pra sociedade está invisível, é isso que queremos com missão Raabe, e onde vamos chegar é onde Deus quiser levar-nos, é ai onde vamos chegar onde ele quiser levar, e queremos com que as ruas sejam ouvidas, sejam vistas, nós queremos dar voz a essa galera, que os olhos da sociedade venha está neste lugar, e onde nós for, é onde Deus quiser, onde ele quiser levar, estamos disposto a ir.

11- O que você fala para aqueles que tem as ferramentas nas mãos (palavra de Deus) e não fazem o IDE, nas ruas, trabalhos, escolas, etc?

Alan: Tem que acordar, é isso, tem que acordar para viver o evangelho, eu falo o que muitos falam, que é onde a igreja precisa ir, isso que falo para essas pessoas, que tem a palavra de Deus, que tem o chamado de Deus e não estão fazendo o IDE, o que digo pra elas, é que elas precisam ir, que elas precisam se mover.

Entrevistado:: Pr. Alan Basílio

Entrevistador:: Felipe Albuquerque / Marianne Araujo / Amanda / Heverton Lacerda / Leonildo Anselmo / Larissa 

Fonte:: Portal Árvore Da Vida

Anúncios

Publicado em 4 de junho de 2016, em Alan Basilio, entrevista. Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: